BLOG

EM DEFESA DA ANITTA NAS OLIMPÍADAS E O CASO DA VIOLÊNCIA SIMBÓLICA

19th agosto , 2016
anitta

Eu não entendo tanta argumentação contra a Anitta cantar nas Olimpíadas. O que vejo é uma cantora moderna, atual, contemporânea e popular. Ela é cantada por todo o Brasil, assim como Tiaguinho, Ivete e tantos outros sertanejos que não conheço. Anitta me representa sim! Como brasileira sua história de vida traduz a superação de muita gente. Sinto muito, mas minha timeline esnobe e elitista está revoltada com a escolha…Pergunto:seria mais apropriado em um evento popular e diverso a Bossa Nova estar presente, modalidade que pouca gente ouve? Seria mais representativo Caetano-caminhando-contra-o-vento-sem-lenço-e-sem documento? Pois é… na história das festas das Olimpíadas por todo mundo quem embalou o evento foram artistas reconhecidamente populares, ou seja, aqueles que estão no gosto do povo. Anitta é minha preferência musical? Não. No entanto, como pesquisadora e antropóloga, preciso entender sua importância para um país inteiro.

A Anitta representa o que afinal? Uma cultura menor? Uma cultura vulgar? Pois é, taí, somos isso. Cultos e vulgares, intelectuais e dançantes, discretos mas também rebolamos até o chão, contidos libertários… Somos este turbilhão de controvérsias e na boa… eu sinto orgulho dessa identidade também. Porque quando a gente está na festa da elite branca tomando caipirinhas…e toca nas carrapetas o hit PRE-PA-RA QUE HORA DO SHOW DAS PODEROSAS, todos nós dançamos, fazemos coreografia e cantamos a letra inteirinha! Nos sentimos Anitta. E a elite se rende 😱 Estamos sim diante de um caso clássico do conceito bourdiesiano de violência simbólica, quando uma elite intelectual oprime o restante da sociedade com suas regras de “bom” gosto, que sempre serviram para criar barreiras de distinção social. Em tempos atuais os velhos resquícios persistem e o gosto, o bom gosto elitista continua oprimindo, mais do que nunca é considerado uma virtude e poder. Isto precisa acabar. Música boa é relativo. Está na hora de rever nossos conceitos e aceitar as diferenças. Respeite as minas e os manos! Precisa desenhar?
Anitta é pop, popular e é boa no que faz. Ponto final.

Hilaine Yaccoub antropóloga (PhD).
@hilaine

Crédito da foto: Pino Gomes @pinogomes